sábado, 5 de abril de 2008

Cartazes com simetrias - desafio aos leitores

Pois bem, os cartazes surgem agora, lindinhos, depois de estarem em exposição num dos corredores da escola.
Dobragens, recortes, colagens, pinturas e muita imaginação… várias composições com título.


Haverá por ai algum pai, leitor do blog ou turma visitante que queira aceitar o desafio de partir de um destes cartazes e inventar uma história?

O desafio fica lançado!








3 comentários:

Dumuro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
João disse...

O pinheiro mágico, seus amigos e a bruxa má.

Era uma vez um pinheiro, que queria ser pinheiro de Natal. Ele tinha dois amigos que não sabiam muito o que queriam ser... Mas eram tão amigos do pinheiro, que sabiam que queriam ficar sempre perto dele. Por isso, começaram a pensar que seria mesmo bom se conseguissem transformar-se em enfeites de Natal. Assim, se um dia o pinheiro conseguisse realizar o seu sonho de se transformar num pinheiro de Natal, eles conseguiam ficar com o seu amigo.
Havia um problema: a bruxa má, que vivia no pinhal! Ela nunca deixava que o Natal chegasse. Ela era uma bruxa esquisita. Era má no Inverno e boa no Verão! Como, bem lá no fundo, não gostava de ser má, sempre que o Inverno estava a chegar, ela fazia o frio desaparecer e lá ia ela com um fato de banho cheio de morcegos estampados para o calor da praia! Resultado: o Natal nunca chegava e o pinheiro e os seus amigos não realizavam o seu sonho!
Era um verdadeiro problema...
O pinheiro não sabia é que tinha poderes mágicos. Qualquer um perceberia, porque ele era o único pinheiro que em vez de dar pinhas e pinhões, dava amêndoas da Páscoa e gomas com forma de peru (mas só com a forma do peru do trabalho de grupo do peru e do pinheiro).
E assim se passavam os dias... a bruxa na praia, a pôr bronzeador e a beber sumos de ananás com gengibre (tudo o que as bruxas comem têm gengibre!), o pinheiro muito triste e os amigos também tristes (porque o seu amigo estava triste).
Um belo dia, um dos amigos, que era muito guloso, disse:
- Ó pinheiro! Estou farto de comer gomas de peru e amêndoas da Páscoa! Se calhar, tu não consegues ser pinheiro de Natal, porque não nos dás comida de Natal. Se desses rabanadas e filhozes em vez de amêndoas...
O pinheiro disse:
- É para já!
E, nisto, das suas agulhas verdes saíram umas belas rabanadas!
O outro amigo, que era mais esperto, disse logo:
- Mas tu consegues transformar gomas em rabanadas? Ó amigo, tu és mágico!
O pinheiro, muito espantado, percebeu que o amigo tinha razão. Ele era mágico! E já sabia como resolver todos os seus problemas!
Pediu aos amigos para irem à praia buscar a bruxa. Quando ela chegou, propôs-lhe:
- Como sou mágico, posso pôr-nos a voar para Angola. Lá, o Natal é no Verão. Eu posso ser pinheiro de Natal e tu podes ir à praia e ser boa! Quando chegar o Inverno lá, voamos até aqui! O que dizes?
A bruxa achou que a ideia era óptima. Foi buscar o seu conjunto de fatos de banho e, desde aí, passaram a ter uns natais muito animados, com praia, um pinheiro mágico de Natal muito feliz (que fornecia sempre umas ceias muito boas!) e dois amigos transformados nos enfeites mais bonitos que já se viram!
Quanto à bruxa, ficou tão baralhada, com isto de ser boa no Verão e má no Inverno, e estar a morar num país em que não havia Natal no Inverno... Ficou tão baralhada que achou que era mais fácil deixar de ser má e passar a ser uma bruxa boa. Tornou-se um sucesso, porque bruxas más toda a gente conhece! Vinha gente de todo o lado ver a bruxa boa, que ganhava campeonatos de futebol de praia!

Aprender...é crescer... disse...

Vou mostrar aos alunos... Talvez queiram escolher um cartaz e criar uma história...
Beijinhos
Zami